domingo, 11 de outubro de 2009

Sem susto

Só no carão

Chamadas de capa: um mal necessário

Uma capa de close é uma capa de close. Inegável como uma capa com close fechadão rende, quase sempre, um puta capão. E quando o rosto focado é o da supermodel Claudia Schiffer, maior (1,79 metro) patrimônio alemão vivo, a capa fica ainda mais bonita. Taí a Bazaar UK que não me deixa mentir. Prefiro a capa só com a bela assinatura da modelo, mas chamadas de capa são necessárias. O editorial, mais uma vez apostando no humor, mistura ilustração, de Jon Bogers, com fotografia, de Michelangelo di Battista, e tem um visual fantástico. Fiquei imaginando (provavelmente já saiu em alguma revista por aí, né?) um editorial ou, por que não?, ensaio sensual inspirado nos filmes de terror atuais e, claro, com partipações especialíssimas de Freddy Krueger, Michael Myers, Jason...

Faltou a clááássica corridinha com queda

Fotos: Reprodução Bazaar

4 comentários:

André disse...

alguém lê chamada de capa? rs

Poio disse...

Capa extraordinaria. Prefiro essa versao limpa tb.

Leandro disse...

Eu leio. Como assim ninguém lê?

Pedro disse...

. óbvio que alguém lê!

principalmente quem se interessa por conteúdo + capa

mudo a pergunta: alguém não lê chamada de capa?

[e morri com esse ensaio. muito legal!]

Postar um comentário | Feed



Blog Widget by LinkWithin
 
^