quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Sucesso, meu caro!


Dificilmente um diretor de redação tenha causado tanto quanto Edson Aran. O cara esteve por aqui em comentários polêmicos, em entrevista e, olha só, até tivemos a honra de estar em seu blog. Agora é o momento de nos despedirmos desse mestre que comandou a Playboy por 7 anos.
Edson, como quase todo mundo já deve estar sabendo, deixa a direção da revista hoje, cedendo lugar ao jornalista e escritor Thales Guaracy. Nós só podemos agradecer a paciência, as conversas por e-mail e, claro, o carinho com que sempre tratou o blog. Torcemos para seu Lado B ganhar ainda mais força e, finalmente, ter corpo para ser chamado de Lado A. Sucesso com seus cartoons, roteiros e, claro, humor ácido que tanto apreciamos.

Ah, bem vindo Thales! E, já pode mandar e-mail e começar a amizade?!

4 comentários:

SÉRGIO LIMA disse...

Eu sou de uma epoca em que sentava pra pegar papel, caneta, envelope e selo pra mandar carta para a redação, desde que em 90 e poucos mandei minha primeira carta para a revista, reclamando minha edição da Alexia Deschamps atrasada.

Com a chegada da internet, a coisa ficou mais ágil. Rodrigo Veloso sempre foi muito cordial, mas raramente se posicionava.

O Aran não. O cara é pica. O cara é bom.

Fez merda, como todos fizeram, mas deu um ar extremamente adulto a revista que estava focada no publico punheteiro. Trouxe excelentes entrevistados. Otimas matérias. Cartoons, e o diabo a quatro.

O que o povo precisa entender é que não só de estrela se faz uma revista. Não adianta ter a Luma na capa e o Marcelinho Carioca na entrevista. Não adianta a Joana Prado e ter que engolir o Frota. E era isso que as pessoas não entendiam.

Brigamos muito, mas o saldo é positivo. Ele, na minha opinião merece palmas. Fez um excelente trabalho.

Tive a sorte de poder sentar com ele e bater papos bons.

Sorte meu Amigo. Talento você tem!

Abraço

Serginho

Alípio disse...

O que dizer de um diretor de redação que só deixa saudades em leitores-amigos? Que só consegue elogios de leitores-amigos?

Meu contato com Aran sempre foi aquele: eu escrevia opiniões sobre a edição que tinha comprado, ele respondia como diretor de redação. Acho extremamente positivo da parte dele ter respondido (muitos não o fazem). Por outro lado, eram respostas tão evasivas, tão automáticas, que eu não consegui ver nenhuma sinceridade ali. Insisti um tempo, desencanei.

A gestão de Aran sempre vai ser lembrada por mim como a gestão que joguei tudo pro alto, joguei tudo no lixo. Acho triste.

Deixo claro que não misturo as coisas. Já curti coisas do Aran fora da Playboy e o único livro dele que li e tenho, Delacroix escapa das chamas, eu gostei muito e ri bastante. Ao passo que meu diretor favorito, dos que acompanhei, é o Ricardo Setti, cuja figura pública me dá náusea (embora não o conheça pessoalmente).

Esperei uma mudança de direção, como quem esperava mudanças que me devolvessem o prazer de colecionar Playboy. Não veio. Vem agora. Tarde.

Enfim, boa sorte pra ele em sua nova empreitada. E boa sorte pro Thales, que vai precisar.

diego disse...

Já vai tarde, na minha opinião de leitor a fase Aran foi a pior que vi, erros, erros e mais erros...um acerto pra compensar e de novo erros, erros...

A sensação que eu tenho é que ele desceu o nível da revista, transformou a imagem glamurosa em trash, a revista que garotos adolescentes sonhavam em comprar, que traziam as mulheres mais desejadas do Brasil, hj é só uma qualquer, adolescente nenhum se importa mais, e nem mesmo as mulheres mais desejadas do Brasil se importam...

A sensação que Aran me proporcionou é como se o leitor fiel e fã da revista, não fosse bem vindo, como se a opinião desse não servisse. Eu consigo ver todas as vontades, opiniões, o estilo e a birra do Aran impressas em cada página da Playboy atual, mas a vontade do leitor, a opinião dele isso eu não vejo.

Era um casamento onde um dos lados tenta, briga, esperneia, quer discutir a relação e a outra parte simplesmente ignora e dá as costas...como o colega aí de cima disse, eu tbm esperei essa mudança como se fosse a salvação do meu amor por Playboy...mas infelizmente veio quando o amor já não existe mais.

Espero que o Thales conquiste novos amantes.

Syd Gilmor disse...

Foi tarde.
Já me empolguei com o novo diretor,esnobou a motoqueira do Fred,que teria presença garantida na revista se o Aran ainda estivesse no comando.Há esperança.

Postar um comentário | Feed



Blog Widget by LinkWithin
 
^