domingo, 6 de setembro de 2009

Como não ser clichê?!

Bárbara!

Ao ver o ensaio de setembro da Playboy, a dúvida que fica em minha cabeça é essa aí do título. Praticamente impossível não dizer que ela está bárbara nas fotos. Que o ensaio é bárbaro. Poderia usar todas as variações de clichês a partir de seu nome. E tudo isso deve-se a duas coisas:

A lindíssima estrela e o sofisticado fotógrafo.

André Passos tem em seu histórico ensaios de moda superinspirados e quando faz ensaios de nu não deixa essa característica de lado. Em sua passagem pela SEXY só tenho lembranças de ensaios incríveis e neste segundo ensaio na Playboy, mais um trabalho memorável. Para quem não lembra, o primeiro ensaio foi o retorno de Claudia Ohana em novembro de 2008.

Chega de embromação e vamos ao ensaio:

Linda e de peito inflado

Num jogo de planos, Bárbara é sempre o objeto central neste ensaio. Todo o foco está nela, todos os olhos só procuram a loira linda que está nua pela casa. Como é característico de André Passos, o ensaio é permeado por um tom voyer, em que Bárbara em poucos momentos olha diretamente para a câmera, mas quando o faz é de maneira tão forte e instigante que hipnotiza.

Lindo momento voyer

Apesar de muito loira, Bárbara está ainda mais bonita nesta Playboy. Corpo perfeito, cabelão sensual, maquiagem discreta que apenas realça sua beleza (apesar de muito dissonante do esperado de uma temática latina/Almodóvar). Para quem tem dúvidas, este ensaio está tão lindo quanto o primeiro, mas ainda prefiro o ensaio clicado por Luis Crispino. Mas por puro gosto pessoal, porque este é lindo.


A primeira vista achei que o figurino era uma homenagem a Dudu Bertolini

Apesar de lindo, não consigo ver as tais cores de Almodóvar tão divulgadas, ou melhor, até consigo ver, mas apenas em duas fotos, que por sinal são as que mais gosto. Refiro-me às fotos amareladas das páginas 103 e 105. Nestas, o figurino até lembra os filmes do diretor espanhol e o tom da fotografia também.

Uma outra parte do ensaio é bem colorida, mas não classificaria como "cores de Almodóvar", mas sim "Maria Antonieta de Sofia Coppola". Sim, o quarto rosa com mobília francesa, algumas plumas em cena e Bárbara usando meia 7/8 só me remetem à direção de arte do filme sobre a vida da rainha francesa.


Num saldo final, o ensaio é muito bom, diversificado, agradável de se ver e sem elementos dissonantes, como acontecia nos últimos meses. O único cuidado que tomaria é quanto ao tema. Não precisavam ter falado que era inspirado em Almodóvar, porque neste sentido o ensaio não cumpre seu papel. Mas como um ensaio sensual, ele cumpre e muito bem.

6 comentários:

Isaac Soul Feel disse...

Ótima análise do ensaio!

A capa me instigou na hora que vi e no meu conceito é a capa mais linda da Playboy de que me lembro nesses meus 21 anos (22 em outubro).

Vou pra banca na terça pra comprar!

Sensacional, para não ser clichê, dizendo que está BÁRBARO!

hehehe!

Leandro disse...

Droga! Minha assinatura de 50% de desconto da Playboy acabou. Comofaz agora?

Pabline Felix disse...

Nó, deu até vontade de conferir!
Parabéns, dB! Achei a análise ótima também.

Poio disse...

Otima resenha p/ um ensaio moderadamente bom de uma mulher extraordinariamente linda.

Poio disse...

ps: essas imagens com detalhes especificos das fotos sao ideia excelente, ficaram bem sugestivas e tal.

Marcelo Moraes disse...

Este ensaio da Bárbara Borges lembra um pouco o da Rita Guedes pela ótima combinação de modelo, cenário, temperado com a segurança dela. E quem faz um segundo Nu para Playboy é garantia de venda...

Postar um comentário | Feed



Blog Widget by LinkWithin
 
^