segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Encaretamos?

Sim, encaretamos. Basta dar uma olhada nas capas da extinta (1994 – 2000) Sui Generis de 10, 14, 18 anos atrás. As celebridades não tinham medo de se expor, os revisteiros não estavam tão neuróticos com as vendas, os leitores não se saciavam apenas com um tanquinho bonito. Só isso explica o fato de as capas da Sui Generis, a primeira revista gay não erótica do Brasil, ainda serem infinitamente mais interessantes que as capas gays atuais. E olha que naquela época tudo era muito mais difícil para o mercado gay e para o gay em si. O que torna a Sui Generis ainda mais corajosa e moderna. Fica a reflexão. Ou a inspiração.
Deveras sui generis
Obrigado, Israel Carneiro!
+ capas da Sui Generis aqui.

6 comentários:

RaFa . disse...

Não sabia dessa revista. Com certeza uma revista bem mais moderna e atrevida do que as de hoje. Pena que saiu do mercado.

Marcos O. disse...

Saudade da revista.

Até hoje folheio minhas edições.

Marcos O.

P.S.: Vocês bem que podiam fazer um post sobre as capas bacanérrimas da também extinta Interview, né?

Eufrasio Vieira disse...

Bem lembrado Marcos O, a Interview brasileira deixou saudades.

Israel Carneiro disse...

A Sui é linda!Nossa,que revista fantástica!Tem uma banca no Centro de Fortaleza que encontro uma boa parte.

Levantemos outra questão:será que que a "facilidade" nos emburreceu?

Fernando Vasconcelos disse...

Putz, muito bom. Parece TRIP. Capa Vitor Belfort(que é heterossexual, sim?) sensacional. O mundo encaretou geral e a midia impressa gay em 2012 é só caretice, cafonice e mercado ($$$). Inteligência e atitute zero.

Lula Zago disse...

Concordo totalmente!!! O dono da banca de jornais de avisava quando saía número novo! Cerva vez encontrei o Claudio Nascimento que escrevia artigos na revista e ele alegou que foi faltando grana e o projeto foi ficando inviável...pena!Que pena!!
Antonio Luiz

Postar um comentário | Feed



Blog Widget by LinkWithin
 
^