terça-feira, 18 de novembro de 2008

Meisel, o cara!

Beyoncé é a capa da V Magazine de novembro/dezembro, mas não é dela que vamos falar. Mesmo a capa tendo ficado bacana. Isto posto, vamos ao assunto:

Qual das versões é Sasha Fierce?


Deixando a capa e indo para o recheio da revista, que também tem Raquel Zimmerman por Lagerfeld, o que me encantou foi o editorial Dogging fotografado pelo Steven Meisel. E é daquelas matérias que você ama ou odeia. Muita técnica e ousadia no mesmo lugar. O tema, meio batido, foi bem explorado e fazer a 'orgia de drogras e corpos' com esse tratamento fotógrafico foi uma ótima saída para não deixar o trabalho meramente sexual e cru.

Não sei como Meisel fez essas fotos, se foi tudo bonitinho/direitinho e depois horas de pós-produção, ou se fez da maneira que eu prefiro acreditar:

  • Sacou uma Holga e se jogou na lomografia.
  • Ou ainda, fez tudo com câmeras analógicas, com filme cromo e revelou da maneira convencional. Mais ou menos o seguinte: quando você fotografa com filmes convencionais, na hora da revelação é gerado um negativo e o papel fotográfico é exposto a ele, gerando as cores opostas devido ao processo. Quando você faz a revelação de um cromo, que gera imagens positivas, no processo normal, ele gera imagens com a tonalidade semelhante a dessas fotos, ficando tudo invertido. E como, normalmente, o cromo é mais saturado, as imagens costumam ficar bem coloridas. Adoro essas ousadias...
Como no editorial para a Vogue Itália, em que levou modelos para a Rehab, este também faz um crítica a essa glamourização dos vícios e tropeços alheios que temos vivido. E claro, fica aquela dúvida na cabeça, será que realmente precisamos ver todos os tropeços da Amy, da Britney e até do Fábio Assunção? Será que não devemos saber a hora certa de parar de olhar?

Todo mundo de olho...

Toda essa invasão só vale a pena quando gera produtos que fomentam a discussão. E nesse editorial da V o que não falta é elemento para isso, tem de tudo! Sexo, drogas, voyerismo, homosexualismo. Tudo ali, brilhantemente registrado.

9 comentários:

Paulo Floro disse...

achei genial tanto o meisel quanto o post em si. impressionante instigar tantas questões e fazer algo tão sexy e ousado quanto isso. viajei no ensaio.

manu disse...

o que seria da moda sem trabalhos como este? pode ser polêmico e transgressor, mas nada mais é do que um registro de nossa época. daqui cem anos, vão olhar esse trabalho e sacar como vivíamos, da mesma maneira que olhamos para os quadros renascentistas e vemos a mesma coisa. adorei.

Leandro disse...

Queria mais ousadia.

manu disse...

ah, e aposto na técnica do cromo virado.
leandro, como assim queria mais ousadia? neste editorial ou no mundo revisteiro em geral?

gabriela cesar disse...

adorei a encoxada na árvore!

Leandro disse...

Manu, nos 2. No quesito ousadia, Terry é o cara.

raphaelribeiro disse...

Incrível ensaio. Adorei.
Sou estudante de moda e fiz um trabalho pra faculdade esse semestre, um editorial, escolhi um tema parecido. se puder, dê uma olhada e critique.

www.raphaelribeiro.com

Gosto muito do blog, sempre é uma boa visita.

Abraço.

Leandro disse...

Maneiro, Raphael. Você está no caminho certo. Agora é só seguir em frente. Prbns e abç!

raphaelribeiro disse...

obrigado Leandro.
=D

abraço.

Postar um comentário | Feed



Blog Widget by LinkWithin
 
^